Caso você não visualize as animações corretamente, clique aqui para fazer o download do plugin do Flash.

BM&F Bovespa

Curiosidades

Entenda: Saltos


Agência Luz/BM&FBOVESPA
Mônica Araújo Freitas
Salto em altura


O objetivo do salto em altura é passar sobre um sarrafo, suspenso entre dois suportes verticais. Cada atleta tem direito a três tentativas para ultrapassar o sarrafo. Se não conseguir, é eliminado. A altura do sarrafo é aumentada gradualmente, ao longo da disputa. Em caso de empate entre dois ou mais atletas, o vencedor será o que tiver superado a altura primeiro ou com o menor número de tentativas.

História
A origem do salto em altura não é bem definida, mas acredita-se que tenha começado na Alemanha, como disciplina militar. No início, o estilo usado era a tesoura simples, em que o atleta se aproximava de frente e passava "sentado" sobre o sarrafo. Atualmente, é utilizada a técnica do americano Richard Fosbury, considerada uma revolução na modalidade, em que o atleta passa de costas sobre o sarrafo.

 

 

Salto com vara

Agência Luz/BM&FBOVESPA
Fabiana Murer

No salto com vara, o atleta tenta superar um sarrafo, suspenso entre dois suportes verticais, com a ajuda de uma vara flexível. Hoje, as varas envergam tanto que arremessam o saltador. O atleta empunha a vara junto ao peito e corre pela pista. Na área de impulsão, crava a vara e inicia o salto, esticando as pernas para ultrapassar o sarrafo. Depois, cai sobre um colchão. A modalidade requer velocidade, musculatura forte e flexibilidade de ginasta.

História
Existem registros de que o salto com vara era bastante apreciado pela nobreza inglesa e chegou a ser praticado por Henrique 8.º. No século 19, eram usadas varas pesadas, com três pregos de ferro na ponta. Varas de bambu, mais leves, foram importadas do Japão para a Europa e Estados Unidos no começo do século 20. Hoje, são utilizadas varas de materiais sintéticos, como fibra de vidro e de carbono.

 

 

Agência Luz/BM&FBOVESPA
Mauro Vinícius Hilário

Salto em distância

A prova começa com uma corrida, em que o atleta toma impulso e "arma" o salto antes da linha de decolagem, caindo em um tanque de areia. A distância do salto é medida da linha de decolagem à primeira marca do contato do corpo no tanque de areia. Cada atleta tem direito a seis saltos.

História
A prova já era disputada nos Jogos da Antiguidade, mas a dos gregos era bem diferente: saltavam segurando uma espécie de halteres de pedra nas mãos, acreditando que assim alcançariam uma distância maior. Existe um registro, de um certo Chionis de Esparta, que em 656 a.C. teria saltado 7,05 metros. Essa marca só foi igualada em 1884 pelo irlandês John Lane, isto é, 2.530 anos depois. Se verdadeiro o registro, deve ser, sem dúvida, o mais longo recorde do atletismo de que se tem conhecimento.

 

 

Salto triplo

Agência Luz/BM&FBOVESPA
Hilton da Silva

Na prova, o atleta tenta cobrir a maior distância possível com uma série de três saltos interligados. Ele corre pela pista e salta a partir de uma marca de lançamento, cai na pista com um pé, toma impulso, cai na pista com o outro pé e volta a tomar impulso, aterrissando na caixa de areia com os dois pés. Cada atleta tem direito a seis saltos.

História
Presente nos primeiros Jogos da Era Moderna, em 1896, em Atenas, a origem da prova é um pouco obscura, mas é sabido que os celtas praticavam a modalidade no século 2. No final do século 19, o salto triplo já era bem popular na Irlanda e na Escócia.



Voltar à Home
Ir para o Topo
Copyright © 2010 Clube de Atletismo BM&FBOVESPA. Acesse e conheça o Instituto BM&FBOVESPA. Termos e Condições.
Content Stuff