Caso você não visualize as animações corretamente, clique aqui para fazer o download do plugin do Flash.

BM&F Bovespa

Notícias

Darlan Romani bate recorde sul-americano e leva ouro no GP Brasil de Atletismo


O atleta arremessou o peso a 21,82 m, quinta melhor marca do mundo; Vitória Rosa ganhou os 200 m com índice para o Mundial de Londres, com 23s09


Osvaldo F./Contrapé/B3 Atletismo

 


São Bernardo do Campo - Darlan Romani, da B3 Atletismo, bateu o recorde sul-americano e assumiu a 5ª colocação do ranking mundial do arremesso do peso com a vitória no GP Brasil, disputado neste sábado (3/6/2017), na Arena Caixa. O finalista olímpico da prova alcançou a impressionante marca de 21,82 m na segunda de suas quatro tentativas.


O catarinense Darlan, de 26 anos, tinha como recorde pessoal os 21,02 m conquistados na final dos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016 - ele foi o 5º colocado. Já o recorde sul-americano superado por Darlan hoje era de 21,26 m, do argentino Germán Lauro desde 2013.


Com o resultado no GP, Darlan confirmou o índice para o Mundial de Londres pela terceira vez no ano - a marca mínima exigida pela Federação Internacional de Atletismo (IAAF) é de 20,50 m. Em 28 de abril, em Gainsville (EUA), Darlan fez o índice pela primeira vez com o resultado de 20,93 m. Em 13 de maio, venceu o Circuito Ouro 6ª Etapa, também em São Bernardo, com 20,62 m.


A regularidade do atleta tem sido uma marca nesta temporada. "Fazer todas as provas acima dos 20 metros era a minha meta. Essa constância é fundamental para mim. Tem gente que faz 22 metros hoje e amanhã faz 20 m, 18 m. Para saber que estou bem, preciso saber que estou constante nas marcas", disse Darlan. "Agora passei o 21 m pela segunda vez, e o próximo objetivo é buscar os 22 m. Eu não falo de uma marca que eu busco, porque isso é muito pessoal. Não prometo quanto vou arremessar."


Darlan considerou o GP Brasil uma das provas mais fortes da temporada - ele já competiu, este ano, na Argentina e nos EUA. Medalha de prata em São Bernardo com 20,22 m, o congolês Franck Elemba foi quarto colocado na Olimpíada de Rio. O americano Joshua Freeman, terceiro colocado no GP com 19,87 m, já arremessou 20,91 m neste ano.


Vitória Rosa conquista o índice para o Mundial nos 200 m 


Vitória Rosa venceu os 200 m no GP Brasil e comemorou o resultado de 23s09, seu melhor tempo pessoal e índice para o Mundial de Londres, em agosto - a jovem velocista disputou os Jogos Olímpicos do Rio, em 2016, nesta distância. O índice definido para a distância é de 23s10. A medalha de prata ficou com Viktorya Zyabkina, do Cazaquistão, com 23s25, e a de bronze com a brasileira Rosângela Oliveira Santos, com 23s48.


"Eu nem estava me cobrando porque pra mim esta temporada seria de transição - mudei do Rio para São Paulo, passei a treinar com o Nakaya (o tecnico Katsuhico Nakaya), estranhei um pouco o clima da cidade (São Caetano do Sul), um pouco mais frio do que o Rio. Então, os resultados que estão saindo nem eram muito esperados por mim. Mas o Nakaya disse que os resultados iam sair", disse Vitória Rosa.


Fernando Ferreira faz melhor marca pessoal no altura e se aproxima do índice


No salto em altura, Fernando Ferreira conquistou a medalha de ouro com seu recorde pessoal, 2,28 m, dois centímetros acima de sua melhor marca anterior. Com o resultado conquistado no GP Brasil, o saltador de 22 anos se aproxima ainda mais de sua principal meta na temporada: o índice para o Mundial de Londres, que é 2,30 m.


"Queria muito o índice, mas estou no caminho. Eu já vinha treinando bem e esperava uma melhora no meu resultado. Agora tem o Troféu Brasil, outra competição forte, na semana que vem. O GP foi bem mais forte, eu ganhei ano passado com 2,21 m. Para ganhar este ano eu tive que melhorar minha marca", disse Fernando. O venezuelano Eure Javier Yañez foi o segundo colocado, com 2,26 m, seguido pelo portorriquenho David Adley Smith II com 2,23 m. 


As demais medalhas da B3 Atletismo no GP Brasil de Atletismo: Tânia Ferreira da Silva ficou com a prata no salto em distância (6,34 m); Juliana Gomes dos Santos levou o bronze nos 1.500 m (4min22s46) e Paulo Sérgio dos Santos Oliveira também ganhou medalha de bronze no salto triplo (16,49 m).  


O Clube de Atletismo BM&FBOVESPA agora é B3 Atletismo. A mudança de nome da equipe é consequência do nascimento da B3 S.A., resultado da combinação de atividades entre BM&FBOVESPA e Cetip, efetivada em 30 de março de 2017.

A B3 Atletismo, comprometida com o desenvolvimento do Brasil pelo esporte, tem parceria com CAIXA, Prefeitura de São Caetano e Nike.



Voltar à Home
Ir para o Topo
Copyright © 2010 Clube de Atletismo BM&FBOVESPA. Acesse e conheça o Instituto BM&FBOVESPA. Termos e Condições.
Content Stuff