Caso você não visualize as animações corretamente, clique aqui para fazer o download do plugin do Flash.

BM&F Bovespa

Notícias

Integrantes da B3 Atletismo brilham no último dia de Troféu Brasil com índices e recordes


Márcio Teles, nos 400 m com barreiras, e Tânia Ferreira da Silva, no triplo, alcançaram a marca mínima para o Mundial neste domingo (11/6/2017); os jovens Vitória Rosa (200 m), Thiago André (800 m) e Núbia Soares (triplo) fizeram as melhores marcas da carreira


Osvaldo F./B3 Atletismo


São Bernardo do Campo - O último dia do XXXVI Troféu Brasil, disputado neste domingo (11/6/2017) na Arena Caixa, em São Bernardo do Campo, foi de excelentes resultados individuais para os integrantes da B3 Atletismo. Dois atletas - Márcio Teles, nos 400 m com barreiras, e Tânia Ferreira da Silva, no salto triplo -, alcançaram o índice para o Mundial de Londres, em agosto. E Vitória Rosa (200 m), Thiago do Rosário André (800 m) e Núbia Soares (salto triplo) mostraram o talento da geração sub-23 da equipe, conquistando ouros com as melhores marcas de suas carreiras.


Márcio Teles, que chegou à equipe nesta temporada e treina com Evandro Lázari, venceu os 400 m com barreiras com recorde pessoal e recorde da competição. Pela primeira vez, correu abaixo dos 49 segundos, ao superar a distância da prova em 48s94 - sua melhor marca pessoal, até então, era 49s09, de 2016 e índice para a Olimpíada do Rio. Márcio correu muito abaixo do índice para o Mundial (49s35) e ainda bateu o recorde do Troféu Brasil, 49s05, que era de Eronilde Araújo desde 2000.


"Foi uma prova muito dura, muito difícil, mas eu sabia que hoje ia dar certo. Minha característica é de correr o fim de prova muito forte, mas hoje eu procurei fazer o começo mais forte do que costumo. Se eu começasse lento, não ia conseguir fazer o que fiz. Estou muito, muito contente. Aliás, muito contente é pouco! Melhorei meu recorde pessoal, bati o recorde do campeonato e eu quero mais, vou atrás do recorde sul-americano", disse Márcio, de 23 anos e apenas há quatro no atletismo, que se tornou o 14º do ranking mundial da prova com o resultado de hoje.


Enquanto Márcio é novato na B3, Tânia é uma veterana na equipe: passou a última década defendendo as cores do clube. Neste domingo, a saltadora melhorou seu recorde pessoal para alcançar o índice para o Mundial no salto triplo - ela foi prata com 14,13 m, três centímetros acima da marca mínima exigida. "Fiquei muito, muito, muito feliz. Vinha treinando muito bem. Tive uma competição de salto triplo há um mês e queimei cinco dos seis saltos. Tomei uma bronca do meu treinador, Neílton Moura, e acho que os parafusos apertaram. Hoje, fiz em cinco saltos as minhas melhores marcas do ano. Foi importante para mim, para o meu treinador e para a equipe B3 Atletismo, que vem me apoiando há dez anos", afirma Tânia, que também alcançou a 14ª posição do ranking mundial.


Ouro, recordes pessoais e índices ratificados para Núbia, Thiago e Vitória


Núbia Soares, Thiago do Rosário André e Vitória Rosa já entraram no Troféu Brasil com índices para o Mundial de Londres nas provas do salto triplo, 800 m e 200 m, respectivamente, conquistados antes do início do torneio nacional com recordes pessoais. Mas os talentos da geração sub-23 da B3 Atletismo mostraram, novamente, que não param de evoluir: ganharam ouros para a equipe, bateram seus recordes pessoais e ratificaram o índice para Londres.


Núbia entrou na final do triplo com 14,35 m como recorde pessoal. Na prova, saltou duas vezes 14,56 m, marca que lhe garantiu o ouro e quarto lugar no ranking mundial. "Eu entrei na prova um pouco travada porque ontem saltei o distância", disse a mineira de 21 anos, treinada por Aristides Junqueira, que foi bronze na prova com 6,33 m, também recorde pessoal. "Acho que quando estiver mais solta, talvez no Sul-Americano, onde só vou fazer o triplo, saia um resultado melhor. Quero chegar primeiro nos 14,80 m, mas os 15 metros continuam sendo um foco. Hoje, meu pior salto foi 14,39 m, que me colocaria na final do Mundial tranquilamente. Mas não quero final, quero medalha!".


O meio-fundista Thiago do Rosário André, que já havia vencido os 1.500 m do Troféu Brasil no sábado, voltou à pista da Arena Caixa em grande estilo. Correu forte os 800 m e teve uma melhora impressionante em seu recorde pessoal, que era 1min45s65 desde março. Thiago, que fará 22 anos em agosto, terminou a prova em 1min44s81, resultado que o coloca como o 6º melhor do ranking mundial.


"Era uma prova para vencer o campeonato. Mas como tinham muitos atletas, pedi para o meu treinador (Ricardo D'Angelo) para correr mais rápido hoje (do que nos 1.500 m), e ele liberou para fazer como eu melhor me sentisse. Foi isso que aconteceu. Foi eu contra eu, e mais ninguém. Quando vi o 1min44 no placar, nem acreditei. O meu foco no Mundial é o 800 m, que é a prova que eu mais gosto de fazer."


Vitória Rosa, que alcançou o índice no Troféu Brasil para os 100 m, bateu seu recorde pessoal nos 200 m neste domingo: pela primeira vez correu abaixo dos 23 segundos (22s93). A carioca de 21 anos chegou à B3 em 2017 para treinar com Katsuhico Nakaya e tem melhorado constantemente seus resultados desde o início do ano. "O Nakaya já esperava esse resultado. Para mim, o que vale não é medalha nem colocação, mas melhorar minha marca cada vez mais. E eu ainda posso evoluir este ano." 


A B3 Atletismo teve mais cinco ouros neste domingo em São Bernardo do Campo, com Alexsandro de Melo (salto triplo, 16,42 m), Jailma Sales de Lima (400 m com barreiras, 56s76), Fernando Ferreira (salto em altura, 2,25 m), Felipe Lorenzon (lançamento do disco, 57,95 m) e 4x400 m feminino - correram Natallia Oliveira da Silva, Jailma Sales de Lima, Alessandra Santos Silva e Jessica Roberti da Silva em 3min35s45.


O Clube de Atletismo BM&FBOVESPA agora é B3 Atletismo. A mudança de nome da equipe é consequência do nascimento da B3 S.A., resultado da combinação de atividades entre BM&FBOVESPA e Cetip, efetivada em 30 de março de 2017.

A B3 Atletismo, comprometida com o desenvolvimento do Brasil pelo esporte, tem parceria com CAIXA, Prefeitura de São Caetano e Nike.



Voltar à Home
Ir para o Topo
Copyright © 2010 Clube de Atletismo BM&FBOVESPA. Acesse e conheça o Instituto BM&FBOVESPA. Termos e Condições.
Content Stuff