Caso você não visualize as animações corretamente, clique aqui para fazer o download do plugin do Flash.

BM&F Bovespa

Notícias

No último dia de competição no Rio, Marílson Gomes dos Santos corre a maratona


Fundista do Clube de Atletismo BM&FBOVESPA participa da terceira e última prova de 42,195 km da carreira em uma disputa olímpica


Agência Luz/BM&FBOVESPA
Marílson, Miguel e Juliana: família reunida para a competição olímpica do Rio

 

Rio de Janeiro - Como manda a tradição, a maratona é uma das principais atrações do dia de encerramento das competições olímpicas. No Rio, Marílson Gomes dos Santos, fundista do Clube de Atletismo BM&FBOVESPA, largará às 9h30, no Sambódromo, para sua terceira e última participação na disputa.


O fundista, que completou 39 anos em 6 de agosto, é bicampeão da Maratona de Nova York, dono de quatro medalhas em Jogos Pan-Americanos e esteve nas disputas olímpicas de Pequim, em 2008, e de Londres, em 2012. Em sua primeira participação, não completou os 42,195 km. Há quatro anos, na Inglaterra, Marílson conquistou o melhor resultado do atletismo brasileiro, ao terminar a prova em 5º lugar.


Marílson garantiu a vaga na maratona com o melhor resultado entre os atletas brasileiros - 2h11, tempo conquistado em Hamburgo no dia 26 de abril de 2015. Mas o corredor perdeu o restante da temporada por causa de uma lesão na panturrilha esquerda. "A lesão me preocupou muito, porque alguns atletas acabam até desistindo da carreira. Mas eu tive todo o tempo e o cuidado necessários para fazer minha volta. Hoje não sinto mais nada. Quero correr bem no Rio. Vai ser uma prova dura, difícil, e vou me esforçar ao máximo."


O retorno de Marílson às competições foi justamente no percurso olímpico - o corredor participou do evento-teste da prova, em abril. Como o objetivo era apenas conhecer o trajeto, correu 20 km. "É um percurso totalmente plano", disse o fundista. A prova começa e termina no Sambódromo, passando pelo centro da cidade até chegar a um circuito no Parque do Flamengo, onde os atletas darão três voltas.


Técnico de Marílson, Adauto Domingues está satisfeito com a preparação do fundista e espera uma maratona forte. "O período de preparação no Rio foi muito bom. Estou contente com os treinos que fizemos aqui e o Marílson está muito bem", disse. "Nós sabemos da dificuldade que é correr uma maratona, e os resultados das provas de fundo estão muito fortes. Mas o Marílson tem condições de fazer uma boa prova."


O inverno carioca tem apresentado frequentemente temperaturas acima dos 30 graus. Caso esse cenário se mantenha, Adauto diz Marílson terá de adotar uma estratégia mais cautelosa. "Para esse tipo de situação, temos que tomar alguns cuidados. É preciso segurar um pouquinho o ritmo no começo, senão não chega. A expectativa sai de 2h10, 2h12, para ver o que acontece no desenrolar da prova."


Participação olímpica inesquecível


A disputa olímpica do Rio será inesquecível para Marílson, não apenas pelo fato de ser a última de sua carreira. É que, pela primeira vez, o corredor teve a companhia da mulher, Juliana, na competição - ela disputou a prova dos 3 mil metros com obstáculos. Marílson acompanhou Juliana em provas na Europa, onde ela conquistou o índice, e depois fizeram o treinamento em altitude em Paipa juntos. Também fizeram o período pré-Jogos na Comissão de Desportos da Aeronáutica.


Neste domingo, Marílson terá a torcida de Juliana no Rio, mas também de Miguel, de cinco anos, filho do casal. "Agradeço por estar vivendo um momento histórico", disse Juliana, após sua participação. "Minha Olímpiada ainda não acabou. Estarei na torcida e pedindo para que ele faça uma boa prova."



Voltar à Home
Ir para o Topo
Copyright © 2010 Clube de Atletismo BM&FBOVESPA. Acesse e conheça o Instituto BM&FBOVESPA. Termos e Condições.
Content Stuff