Caso você não visualize as animações corretamente, clique aqui para fazer o download do plugin do Flash.

BM&F Bovespa

Palavra de especialista

Código Mundial Antidopagem

Lista de substâncias e métodos proibidos de 2016


A Agência Mundial Antidopagem - WADA-AMA - divulgou a relação de substâncias e métodos proibidos para 2016, em vigor desde o dia 1º de janeiro


A Agência Mundial Antidopagem - WADA-AMA - divulgou a relação de substâncias e métodos proibidos para 2016, em vigor desde o dia 1º de janeiro. A lista também está disponível no site da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD). É com base nessa lista que serão feitas as análises de amostras para controle de dopagem em atletas nos testes em competição e fora de competição. Segundo a ABCD, as amostras serão analisadas pelo Laboratório Brasileiro de Controle de Dopagem (LBCD), credenciado pela WADA-AMA, e localizado no Rio de Janeiro.


A LISTA PROIBIDA DE 2016 - CÓDIGO MUNDIAL ANTIDOPAGEM


De acordo com o artigo 4.2.2 do Código Mundial Antidopagem, todas as Substâncias Proibidas devem ser consideradas como "Substâncias especificadas", exceto Substâncias das classes S1, S2, S4.4, S4.5, S6.a, e Métodos Proibidos M1, M2 e M3.


SUBSTÂNCIAS E MÉTODOS PROIBIDOS PERMANENTEMENTE (EM COMPETIÇÃO E FORA DE COMPETIÇÃO)


SUBSTÂNCIAS PROIBIDAS


S0. SUBSTÂNCIAS NÃO APROVADAS


Qualquer substância com atividade farmacológica que não esteja referenciada por nenhuma das seções subseqüentes desta lista e sem aprovação em curso por autoridade governamental regulamentadora da saúde para uso terapêutico em humanos (ex.: drogas em desenvolvimento pré-clínico ou clínico, ou descontinuadas, drogas de desenho, substâncias aprovadas apenas para uso veterinário) são proibidas em qualquer tempo.


S1. AGENTES ANABÓLICOS


Agentes anabólicos são proibidos.

1. Esteróides Anabólicos Androgênicos (EAA)

a. EAA exógenos*, incluindo: 1-Androstenodiol (5α-androst-1-eno-3ß,-17ß-diol); 1-androstenodiona (5α-androst-1-eno-3,17-diona); bolandiol (estr-4-eno-3ß,17ß-diol); bolasterona, boldenona; boldiona (androsta-1,4-dieno-3,17-diona); calusterona;clostebol; danazol ([1,2]oxazola[4´,5´:2,3]pregna-4-en-20-in-17α-ol);dehidroclorometiltestosterona (4-cloro-17ß-hidroxi-17α-metilandrosta-1,4-dien-3-ona); desoximetiltestosterona (17α-metil-5α-androst-2-en-17ß-ol);drostanolona; etilestrenol (19-norpregn-4-en-17α-ol); estanozolol;estembolona; fluoximesterona; formebolona; furazabol (17α-metil[1,2,5]oxadiazola[3´,4´:2,3]-5α-androstan-17ß-ol); gestrinona; 4-hidroxitestosterona (4,17ß-dihidroxiandrost-4-en-3-ona); mestanolona;mesterolona; metandienona (17ß-hidroxi-17α-metilandrosta-1,4-dien-3-ona);metandriol; metasterona (17β-hidroxi-2α,17α-dimetil-5α-androstan-3-ona);metenolona; metildienolona (17ß-hidroxi-17α-metilestra-4,9-dien-3-ona);metil-1-testosterona (17ß-hidroxi-17α-metil-5α-androst-1-en-3-ona);metilnortestosterona (17ß-hidroxi-17α-metilestr-4-en-3-ona); metribolona(metiltrienolona, 17ß-hidroxi-17α-metilestra-4,9,11-trien-3-ona);metiltestosterona; mibolerona; nandrolona; 19-norandrostenodiona (estr-4-eno-3,17-diona); norboletona; norclostebol; noretandrolona; oxabolona;oxandrolona; oximesterona; oximetolona; prostanozol (17ß-[(tetraidropiran-2-il)oxi]-1´H-pirazola[3,4:2,3]-5α-androstano); quimbolona; 1-testosterona(17ß-hidroxi-5α-androst-1-en-3-ona); tetrahidrogestrinona (17-hidroxi-18ahomo-19-nor-17α-pregna-4,9,11-trien-3-ona);trembolona (17ß-hidroxiestr-4,9,11-trien-3-ona) e outras substâncias com uma estrutura química similar ou efeito(os) biológico(s) similar(es).

b. EAA endógenos** quando administrados exogenamente: androstenodiol (androst-5-eno-3ß,17ß-diol); androstenodiona (androst-4-eno-3,17-diona); dihidrotestosterona (17ß-hidroxi-5α-androstan-3-ona); prasterona (deidroepiandrosterona, DHEA, 3ß-hidroxiandrost-5-en-17-ona); testosterona; e seus metabólitos e isômeros, incluindo mas não limitado a: 5α-androstano-3α,17α-diol; 5α-androstano-3α,17ß-diol; 5α-androstano-3ß,17α-diol; 5α-androstano-3ß,17ß-diol; 5ß-androstano-3α,17ß-diol; androst-4-eno-3α,17α-diol; androst-4-eno-3α,17ß-diol; androst-4-eno-3ß,17α-diol; androst-5-eno-3α,17α-diol; androst-5-eno-3α,17ß-diol; androst-5-eno-3ß,17α-diol; 4-androstenodiol (androst-4-eno-3ß,17ß-diol); 5-androstenodiona (androst-5-eno-3,17-diona); androsterona; epidihidrotestosterona, epitestosterona; etiocolanolona; 3ß-hidroxi-5α-androstan-17-ona; 7α-hidroxi-DHEA; 7ß-hidroxi-DHEA; 7-ceto-DHEA; 19-norandrosterona; 19-oretiocolanolona.


2. Outros agentes anabólicos, incluindo, mas não limitados a:

Clembuterol, moduladores seletivos de receptores androgênicos (SARMs, p. ex. andarina e ostarina), tibolona, zeranol e zilpaterol.

Para compreensão desta seção:

* "Exógena" refere-se a uma substância que, normalmente, não é produzida naturalmente pelo corpo.

** "Endógena"refere-se a uma substância que, normalmente, é produzida naturalmente pelo corpo.


S2. HORMÔNIOS PEPTÍDICOS, FATORES DE CRESCIMENTO, SUBSTÂNCIAS RELACIONADAS E MIMÉTICOS


As seguintes substâncias, e outras substâncias com estrutura química similar ou efeito(os) biológico(s) similar(es), são proibidas:

1. Agonistas de receptores de eritropoietina

1.1 Agentes estimuladores da eritropoiese (ESAs) incluindo p. ex. darbepoietina (dEPO); eritropoietinas (EPO); EPO-Fc; Peptídeos miméticos de EPO (EMP), p. ex. CNTO 530 e peginesatide; e metoxi polietileno glicol-epoetina beta (CERA).

1.2. Receptores agonistas de EPO não eritropoiéticos, p. ex. ARA-290, asialo EPO; EPO carbamilada.


2. Estabilizantes de fatores induzíveis por hipóxia (HIF), p. ex. cobalto e FG-4592; e ativadores de HIF, p. ex. argônio, xenônio;


3. Gonadotrofina Coriônica (CG) e Hormônio Luteinizante (LH) e seus fatores de liberação, p. ex. buserelina, gonadorelina e leuprorelina, em homens;


4. Corticotrofinas e seus fatores de liberação, p. ex. corticorelina;


5. Hormônio do Crescimento (GH) e seus fatores de liberação incluindo Hormônios Liberadores de Hormônio de Crescimento (GHRH) e seus análogos, p. ex. CJC-1295, sermorelina, e tesamorelina; Secretores de Hormônio de Crescimento (GHS), p. ex. grelina e miméticos de grelina, p. ex. anamorelina e ipamorelina; Peptídeos liberadores de GH (GHRPs), p. ex. alexamorelina, GHRP-6, hexarelina e pralmorelina (GHRP-2).


Fatores de crescimento adicionais proibidos: Fatores de Crescimento Fibroblástico (FGFs); Fator de Crescimento de Hepatócitos (HGF); Fator de Crescimento semelhante à Insulina-1 (IGF-1) e seus análogos; Fatores de Crescimento Mecânicos (MGFs); Fator de Crescimento derivado de Plaquetas (PDGF), Fator de Crescimento Endotelial-Vascular (VEGF) assim como qualquer outro fator de crescimento que afete a síntese/degradação de proteínas de músculo, tendão ou ligamento, vascularização, utilização de energia, capacidade regenerativa ou modificação do tipo de fibra;


S3. BETA-2 AGONISTAS

Todos os beta-2 agonistas, incluindo todos os isômeros óticos (e.g. d- e l-) onde pertinente, são proibidos:

Exceto:

- salbutamol inalado (máximo 1600 microgramas durante 24 horas)

- formoterol inalado (dose máxima administrada 54 microgramas durante 24 horas); e

- salmeterol inalado de acordo com recomendação de uso terapêutico do fabricante.

A presença de salbutamol na urina em concentração superior a 1.000 ng/mL ou de formoterol em concentração superior a 40 ng/mL é compreendida como não sendo uso terapêutico planejado e será considerado como um Resultado Analítico Adverso (RAA), a menos que o Atleta prove, através de um estudo farmacocinético controlado, que este resultado anormal seja conseqüência do uso da dose terapêutica inalada até o limite máximo exposto acima.


S4. MODULADORES HORMONAIS E METABÓLICOS


Os seguintes hormônios e moduladores metabólicos são proibidos:


1. Inibidores da aromatase incluindo, mas não limitados a:

aminoglutetimida, anastrozola, 4-androsteno-3,6,17-triona (6-oxo), androsta-1,4,6-trieno-3,17-diona (androstatrienodiona), exemestano, formestano, letrozola, testolactona.

2. Moduladores seletivos de receptores de estrogênios (SERMs) incluindo, mas não limitados a: raloxifeno, tamoxifeno, toremifeno.

3. Outras substâncias antiestrogênicas incluindo, mas não limitadas a: clomifeno, ciclofenila, fulvestranto.

4. Agentes modificadores da(s) função(ões) da miostatina incluindo, mas não limitados a: inibidores da miostatina.

5. Moduladores metabólicos:

5.1. Agonistas do eixo proteína quinase AMP-ativado (AMPK), p.ex. AICAR; e Agonistas do Receptor Ativado δ de Proliferação Peroxissomal (PPARδ), p.ex. GW 1516;

5.2. Insulinas e miméticos de insulina;

5.3. Meldônio.

5.4. Trimetazidina.


S5. DIURÉTICOS E AGENTES MASCARANTES


Os seguintes diuréticos e agentes mascarantes são proibidos, bem como outras substâncias com estrutura química similar ou efeito(s) biológico(s) similar(es).

Incluindo, mas não limitados a:

Desmopressina; probenecida; expansores de plasma, p.ex., glicerol e administração intravenosa de albumina, dextrana, hidroxietilamido e manitol.

Ácido etacrínico, acetazolamida, amilorida, bumetanida, canrenona, clortalidona, espironolactona, furosemida, indapamida, metolazona, tiazidas, p.ex. bendroflumetiazida, clorotiazida e hidroclorotiazida; triantereno e vaptanos, p.ex. tolvaptano.

Exceto: Drospirenona, pamabrom e uso oftálmico de inibidores da anidrase carbônica (p. ex. dorzolamida, brinzolamida).

Aplicação local de felipressina em anestesia dental.

A detecção numa Amostra do Atleta a qualquer tempo ou Em-Competição, conforme o caso, de qualquer quantidade das seguintes substâncias sujeitas a limites máximos: formoterol, salbutamol, catina, efedrina, metilefedrina e pseudoefedrina, em associação com um diurético ou agente mascarante, será considerada um Resultado Analítico Adverso a menos que o Atleta tenha aprovada uma Autorização de Uso Terapêutico (AUT) específica para essa substância além da concedida para o diurético ou agente mascarante.


MÉTODOS PROIBIDOS


M1. MANIPULAÇÃO DE SANGUE E COMPONENTES DO SANGUE


Os seguintes são proibidos:

1. Administração ou reintrodução no sistema circulatório, de qualquer quantidade de sangue autólogo, alogênico (homólogo) ou heterólogo ou de produtos de glóbulos vermelhos de qualquer origem.

2. Aumento artificial da captação, transporte ou aporte de oxigênio, incluindo, mas não limitado aos: Perfluoroquímicos, efaproxiral (RSR13) e produtos à base de hemoglobina modificada, p.ex. substitutos de sangue com base em hemoglobina e produtos de hemoglobina microencapsulados, excluindo oxigenação suplementar.

3. Qualquer forma de manipulação intravascular de sangue ou de componentes do sangue, seja por meios físicos ou químicos.


M2. MANIPULAÇÃO QUÍMICA E FÍSICA


Os seguintes são proibidos:

1. Manipular ou tentar manipular, visando alterar a integridade e validade das Amostras coletadas no Controle de Dopagem. Isto inclui, mas não se limita à: Substituição e/ou adulteração de urina, p.ex. proteases.

2. Infusões intravenosas e/ou injeções maiores que 50 mL por um período de 6 horas exceto aquelas administradas de forma legítima durante ocasiões de admissões hospitalares, procedimentos cirúrgicos ou investigações clínicas.


M3. DOPAGEM GENÉTICA


Os seguintes, com o potencial de melhorar o desempenho atlético, são proibidos:

1. A transferência de polímeros de ácidos nucléicos ou análogos de ácidos nucléicos;

2. O uso de células normais ou geneticamente modificadas;


SUBSTÂNCIAS E MÉTODOS PROIBIDOS EM COMPETIÇÃO


Além das categorias S0 a S5 e M1 a M3 definidas anteriormente, as seguintes categorias são proibidas Em Competição:


SUBSTÂNCIAS PROIBIDAS


S6. ESTIMULANTES


Todos os estimulantes, incluindo todos os isômeros óticos (e.g. d- e l-) onde pertinente, são proibidos:


Estimulantes incluem:

a: Estimulantes não especificados:

Adrafinil; amifenazola; anfepramona; anfetamina; anfetaminil; benfluorex; benzilpiperazina; bromantano; clobenzorex; cocaína; cropropamida; crotetamida; femproporex; fencamina; fendimetrazina; fenetilina; fenfluramina; fonturacetam [4-fenilpiracetam (carfedom)]; fentermina; furfenorex; mefenorex; mefentermina; mesocarbo; metanfetamina (d-); pmetilanfetamina; modafinil; norfenfluramina; prenilamina; prolintano.

Um estimulante não citado expressamente nesta seção é uma Substância Especificada.

b: Estimulantes especificados.

Incluindo, mas não limitados a:

Benzfetamina; catina**; catinona e seus análogos, p.ex., mefedrona, metedrona, e α-pirrolidinovalerofenona; dimetilanfetamina; efedrina***; epinefrina****(adrenalina); estricnina; etamivan; etilanfetamina; etilefrina; famprofazona; fenbutrazato; fencanfamina; fenetilamina e seus derivados; fenmetrazina; fenprometamina; heptaminol; hidroxianfetamina (parahidroanfetamina); isometepteno; levmetanfetamina; meclofenoxato; metilenodioximetanfetamina; metilefedrina***; metilhexanoamina (dimetilpentilamina); metilfenidato; niquetamida; norfenefrina; octopamina; oxilofrina (metilsinefrina); pemolina; pentetrazol; propilexedrina; pseudoefedrina*****; selegilina; sibutramina; tenanfetamina (metilenodioxianfetamina); tuaminoheptano; e outras substâncias com estrutura química similar ou efeito(s) biológico(s) similar(es). Exceto: - Clonidina - Derivados de imidazola para uso tópico/oftálmico e aqueles estimulantes incluídos no programa de monitoramento de 2016*. * Bupropiona, cafeína, fenilefrina, fenilpropanolamina, nicotina, pipradol, e sinefrina: Estas substâncias estão incluídas no programa de monitoramento de 2016 e não são consideradas Substâncias Proibidas. ** Catina: proibida quando sua concentração na urina for maior do que 5 microgramas por mililitro. *** Efedrina como a metilefedrina: proibidas quando sua concentração na urina for maior do que 10 microgramas por mililitro. **** Epinefrina (adrenalina): A administração local, p.ex. nasal, oftalmológica, ou co-administração com agentes anestésicos locais não é proibida. ***** Pseudoefedrina: proibida quando sua concentração na urina for maior do que 150 microgramas por mililitro.


S7. NARCÓTICOS

Proibidos: Buprenorfina, dextromoramida, diamorfina (heroína), fentanil e seus derivados, hidromorfona, metadona, morfina, oxicodona, oximorfona, pentazocina e petidina.


S8. CANABINÓIDES


Proibidos: - Natural, p.ex., cannabis, haxixe, e maconha, ou delta 9-tetrahidrocanabinol sintético (THC). - Canabimiméticos, p.ex. "Spice", JWH-018, JWH-073, HU-210. S9. Glicocorticóides Todos os glicocorticóides são proibidos quando administrados por via oral, intravenosa, intramuscular ou retal.


SUBSTÂNCIAS PROIBIDAS EM ESPORTES ESPECÍFICOS


P1. ÁLCOOL


Álcool (etanol) é proibido somente Em-Competição, nos esportes abaixo relacionados. A detecção será feita por análise respiratória e/ou pelo sangue. O limite para a violação de dopagem é equivalente a uma concentração de álcool no sangue de 0,10 g/L.

Esportes Aéreos (FAI)

Automobilismo (FIA)

Tiro com Arco (WA)

Lancha de potência (UIM)


P2. BETA-BLOQUEADORES


Beta-bloqueadores são proibidos somente Em-Competição, nos seguintes esportes, bem como proibidos Fora-de-Competição onde indicado:

- Tiro com Arco (WA)*

- Automobilismo (FIA)

- Bilhar (todas modalidades) (WCBS)

- Dardos (WDF)

- Esqui/Snowboarding (FIS) em salto com esqui e em estilo livre aéreo e meio tubo e prancha de neve em meio tubo e grande aéreo

- Golfe (IGF)

- Tiro (ISSF, IPC)*

- Esportes submarinos (CMAS) em apneia de peso constante com ou sem nadadeiras, apneia dinâmica com ou sem nadadeiras, apneia de imersão livre, apneia de pulo azul, caça submarina com arpão, apneia estática, apneia com tiro ao alvo e peso variado.

*Proibido também Fora-de-Competição incluindo, mas não se limitados a: Acebutolol, alprenolol, atenolol, betaxolol, bisoprolol, bunolol, carteolol, carvedilol, celiprolol, esmolol, labetalol, levobunolol, metipranolol, metoprolol, nadolol, oxprenolol, pindolol, propranolol, sotalol e timolol.



Voltar à Home
Ir para o Topo
Copyright © 2010 Clube de Atletismo BM&FBOVESPA. Acesse e conheça o Instituto BM&FBOVESPA. Termos e Condições.
Content Stuff