Caso você não visualize as animações corretamente, clique aqui para fazer o download do plugin do Flash.

BM&F Bovespa

Palavra de especialista

12/11/2012

Mulheres e saltos altos


Sapatos de salto alto sempre foram símbolos da elegância, sensualidade e poder no universo feminino, mas nem sempre estiveram associados ao estado de saúde da mulher


O uso frequente e prolongado dos sapatos com salto alto pode desencadear o surgimento de muitas alterações biomecânicas nos pés e tornozelos, capazes de modificar a maneira de locomover-se ou manter-se em repouso.

 

Podemos citar algumas alterações biomecânicas:

- limitação dos movimentos naturais de pé e tornozelo (prono-supinação), com modificação da marcha normal
- modificação na distribuição do peso corporal sobre os pés
mudanças nas zonas de pressão da planta dos pés, aumento das pressões sobre as estruturas ósseas, ligamentares e cartilaginosas do antepé
- aumento das pressões laterais sobre os dedos dos pés, principalmente nos sapatos com câmaras anteriores estreitas e fechadas (sapatos altos de "bico fino")
- aumento da lordose lombar
- modificação do centro de gravidade corporal
- diminuição da ação muscular de contração da musculatura da perna quanto maior for a altura do salto
- menor tensão de estiramento sobre o tendão calcâneo durante a marcha
- limitação da ação muscular da perna no "bombeamento" do sangue venoso

 

O uso a longo prazo dos saltos altos pode propiciar aumento dos fatores de risco para uma série de lesões musculoesqueléticas e vasculares, tais como:
- dor lombar (lombalgia)
- dores nos pés
- aumento do risco de torções do tornozelo
- dificuldade de caminhar descalço ou com sapatos baixos
- reações de estresse e fraturas de estresse dos ossos dos pés
- hallux valgus (deformidade do 1o raio) e processos inflamatórios frequentes (joanetes)
- inflamações e processos degenerativos da fáscia plantar
deformidades dos dedos
- processos inflamatórios e/ou degenerativos do tendão calcâneo (aquiles), causando dor durante a caminhada ou a corrida
dificuldades ou dor para realizar exercícios de alongamento do tendão calcâneo
- aumento do volume de sangue venoso represado nos membros inferiores, com sinais e sintomas de inchaço, dores nas pernas e "sensação de peso" e varizes de membros inferiores

 

Podemos citar algumas medidas de prevenção, tais como:
- evite saltos com mais de 5 cm de altura
- faça exercícios de alongamento e fortalecimento dos músculos do tronco (CORE), coxa e perna
- faça crioterapia (bolsas com gelo) e massagens locais
- tenha sempre tênis ou sapatos baixos para utilizar após o horário de trabalho ou nos intervalos
- opte por saltos do tipo "plataforma", pois reduzem as alterações biomecânicas e a sobrecarga que os saltos altos finos promovem
- alterne os dias de utilização dos saltos altos e baixos

 

Bons treinos !

 

Dr. Cristiano Frota de Souza Laurino
Médico Ortopedista do Clube de Atletismo BM&F/BOVESPA

 



Voltar à Home
Ir para o Topo
Copyright © 2010 Clube de Atletismo BM&FBOVESPA. Acesse e conheça o Instituto BM&FBOVESPA. Termos e Condições.
Content Stuff